terça-feira, 31 de janeiro de 2012

O Cristão deve Guardar o Sábado e Não pode Comer Carne de Porco? Como Refutar os Advetistas? Provas Biblicas


Recebi um e-mail de um irmão pedindo respaldo para mostrar aos adventistas que não precisamos guardar o sábado e sobre a carne de porco.

Vamos as respostas...

A lei não justifica: Romanos 03:28 "Concluímos, pois, que o homem é justificado pela fé, independentemente das obras da lei." Gálatas 02:16 e 03:11 " sabendo, contudo, que o homem não é justificado por obras da lei, e sim mediante a fé em Cristo Jesus, também temos crido em Cristo Jesus, para que fôssemos justificados pela fé em Cristo e não por obras da lei, pois, por obras da lei, ninguém será justificado. E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé."
Hebreus 07:19 " (pois a lei nunca aperfeiçoou coisa alguma), e, por outro lado, se introduz esperança superior, pela qual nos chegamos a Deus.
Mudou o sacerdote, mudou a lei: Hebreus 07:12 " Pois, quando se muda o sacerdócio, necessariamente há também mudança de lei."
O Filho é acima da lei: Hebreus 07:28 "Porque a lei constitui sumos sacerdotes a homens sujeitos à fraqueza, mas a palavra do juramento, que foi posterior à lei, constitui o Filho, perfeito para sempre."
Para quem é a lei?: I Timóteo 01:09-10 "sabendo isto: que a lei não é feita para o justo, mas para os injustos e obstinados, para os ímpios e pecadores, para os profanos e irreligiosos, para os parricidas e matricidas, para os homicidas, para os fornicadores, para os sodomitas, para os roubadores de homens, para os mentirosos, para os perjuros e para o que for contrário à sã doutrina"
A lei era a maldição: Gálatas 03:10-11 "Todos quantos, pois, são das obras da lei estão debaixo de maldição; porque está escrito: Maldito todo aquele que não permanece em todas as coisas escritas no Livro da lei, para praticá-las. E é evidente que, pela lei, ninguém é justificado diante de Deus, porque o justo viverá pela fé."
Estamos livres da lei: Romanos 07:06 "Agora, porém, libertados da lei, estamos mortos para aquilo a que estávamos sujeitos, de modo que servimos em novidade de espírito e não na caducidade da letra."
Se não estivessemos, Cristo teria morrido em vão: Gálatas 02:21 "Não aniquilo a graça de Deus; porque, se a justiça provém da lei, segue-se que Cristo morreu debalde."
II Coríntios 03:06 "o qual nos habilitou para sermos ministros de uma nova aliança, não da letra, mas do espírito; porque a letra mata, mas o espírito vivifica."
Não estamos debaixo da lei: Romanos 06:14 "Porque o pecado não terá domínio sobre vós; pois não estais debaixo da lei, e sim da graça." Gálatas 05:18 "Mas, se sois guiados pelo Espírito, não estais sob a lei."
A lei separa de Cristo: Gálatas 05:04 "Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído."
Por isso, a lei foi abolida: Efésios 02:15 " aboliu, na sua carne, a lei dos mandamentos na forma de ordenanças, para que dos dois criasse, em si mesmo, um novo homem, fazendo a paz" II Coríntios 03:07 "E, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, se revestiu de glória, a ponto de os filhos de Israel não poderem fitar a face de Moisés, por causa da glória do seu rosto, ainda que desvanecente"
A justiça porém, não será abolida: Isaías 51:06 "Levantai os olhos para os céus e olhai para a terra de baixo, porque os céus desaparecerão como a fumaça, e a terra se envelhecerá como uma veste, e os seus moradores morrerão como mosquitos; mas a minha salvação durará para sempre, e a minha justiça não será quebrantada."
Querido leitor (a), quero pedir a sua atenção, pois estamos vivendo em momentos difíceis, onde as pessoas, pegam versículos isolados e tentam convencer as pessoas a crerem nos seus ensinos, recomendo que você leia todos esses versículos, mas não somente esses, porém os versículos que vêm antes e depois desses, para compreender, e com isso, você não será enganado, e eu quero mostrar isso a você na Bíblia:
Acima, lemos Isaías 51:06, vamos ler também o versículo 07: "Ouvi-me, vós que conheceis a justiça, vós, povo, em cujo coração está a minha lei; não temais o opróbrio dos homens, nem vos turbeis pelas suas injúrias." Viu, se eu quisesse te enganar, você já teria caido. Mas vamos ler outros versículos:
Romanos 02:13 "Porque os que ouvem a lei não são justos diante de Deus, mas os que praticam a lei hão de ser justificados."
Como então que eu disse e mostrei na Bíblia, que a lei não justifica?
Simples: A lei não justifica, mas quem pratica a lei é justificado!
Então eu devo guardar os mandamentos? Se você conseguir, pode guardar, mas sinto em informar: Você enquanto viver, nunca conseguirá! Pois todos nós somos pecadores e transgressores da lei (Romanos 03:23). Então se eu não consigo cumprir a lei, como serei salvo ? Pela graça, pelo Sangue de Jesus!
Mas ai você está pensando: " ele está enrolando!"
Não estou não, não me esqueci de Isaías 51:07, Deus de fato diz, que a justiça não será quebrantada com aqueles em cujo coração está a lei. Sei que parece confuso, mas vamos examinar as Escrituras:
Paulo guardava a lei e dava graças a Deus por isso, veja Romanos 07:25 "Dou graças a Deus por Jesus Cristo, nosso Senhor. Assim que eu mesmo, com o entendimento, sirvo à lei de Deus, mas, com a carne, à lei do pecado." Será então que Paulo guardava a lei dos judeus? Sim, Paulo guardava a lei, mas para quê?
Os judeus não permitiriam que Paulo pregasse, se ele não guardasse, mas ele bem disse, que a lei foi abolida, veja antes de me julgar:
I Coríntios 09:20-21 "E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivera debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, como se estivera sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei."
Paulo, se colocou debaixo da lei, para ganhar os que estavam debaixo da lei, e ele servia sim a lei, mas a lei de Cristo. Qual é a lei de Cristo ? É amar! Mateus 22:37-40 "Jesus respondeu: --"Ame o Senhor, seu Deus, com todo o coração, com toda a alma e com toda a mente." Este é o maior mandamento e o mais importante. E o segundo mais importante é parecido com o primeiro: "Ame os outros como você ama a você mesmo. Toda a Lei de Moisés e os ensinamentos dos Profetas se baseiam nesses dois mandamentos." É só amar! Essa é a lei.
Então, já que não estou debaixo da lei, posso aprontar todas? Não, mil vezes não!
Veja o que Paulo escreveu: Gálatas 05:19-23 "Ora, as obras da carne são conhecidas e são: prostituição, impureza, lascívia, idolatria, feitiçarias, inimizades, porfias, ciúmes, iras, discórdias, dissensões, facções, invejas, bebedices, glutonarias e coisas semelhantes a estas, a respeito das quais eu vos declaro, como já, outrora, vos preveni, que não herdarão o reino de Deus os que tais coisas praticam. Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei." Não desprezo a lei, antes, a lei se cumpre na lei do espírito e vida.
Todos os mandamentos estão no Novo Testamento, menos o sábado:
Mandamento
Antigo Testamento
Novo Testamento
1.º
Êxodo 20:2-3
I Coríntios 8:4-6; Atos 17:23-31
2.º
Êxodo 20:5,6
I João 5:21
3.º
Êxodo 20:7
Tiago 5:12
4.º
Êxodo 20:8-11
? ? ? ? ? ? ? ? ? ?
5.º
Êxodo 20:12
Efésios 6:1-3
6.º
Êxodo 20:13
Romanos 13:9
7.º
Êxodo 20:14
I Coríntios 6:9-10
8.º
Êxodo 20:15
Efésios 4:28
9.º
Êxodo 20:16
Colossenses 3:9;Tiago 4:11
10.º
Êxodo 20:17
Efésios 5:3


Não quero com essa mensagem comprar briga, mas quero somente mostrar, que: "Separados estais de Cristo, vós os que vos justificais pela lei; da graça tendes caído." Gálatas 05:04
Paulo também, não queria ofender ao Gálatas e ele perguntou: “Fiz-me acaso vosso inimigo dizendo a verdade?” Gálatas 04:16 . Será que eu me tornei seu inimigo agora dizendo a verdade? Que verdade Paulo disse a eles?
Gálatas 04:09-11 “Mas agora, conhecendo a Deus ou, antes, sendo conhecidos de Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos. Receio de vós que haja eu trabalhado em vão para convosco.”
Pode me acusar de herege, mas eu mostrei na Bíblia, e continuarei mostrando, e recomendo novamente: analise todos os versículos, não de forma isolada, e verá que não sou eu que minto, veja você, depois pergunte, e seu dirigente dirá o que acontece, mas não diga que eu sou adorador do sol, pois eu não guardo nem o sábado, nem o domingo. Aliás:
Dizem: “Aqueles que guardam o domingo, adoram ao sol, pois domingo em inglês, é sunday, traduzido é: dia do sol.”
Se formos por esse lado, vejamos: Sábado em inglês: Saturday que traduzido é: dia do saturno.
Nem eu adoro ao sol, nem vocês adoram o saturno. O que a Bíblia diz que você deve guardar?
Apocalipse 3:3 Lembra-te, pois, do que tens recebido e ouvido, e guarda-o, e arrepende-te. E, se não vigiares, virei sobre ti como um ladrão, e não saberás a que hora sobre ti virei.
Apocalipse 3:11 Eis que venho sem demora; guarda o que tens, para que ninguém tome a tua coroa.
Apocalipse 16:15 (Eis que venho como ladrão. Bem-aventurado aquele que vigia e guarda as suas vestes, para que não ande nu, e não se vejam as suas vergonhas.)
Apocalipse 22:7 Eis que presto venho. Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.

Guarde isso, e será bem-aventurado, paz seja contigo.

Na parte I (*A Lei (um estudo fácil e profundo)Parte I) já vimos vários detalhes, mas devido a alta dúvida sobre o tema, e como o prometido, trataremos novamente do fato.
Falando ainda do sábado, vejamos alguns outros detalhes:
Deus disse ainda no Antigo Testamento, com clareza que o sábado judáico iria cessar:
"E farei cessar todo o seu gozo, e as suas festas, e as suas luas novas, e os seus sábados, e todas as suas festividades." Oséias 02:11.
Isso se cumpriu com a vinda e morte de Cristo, quando foi dada o novo concerto:
"Semelhantemente, depois de cear, tomou o cálice, dizendo: Este é o cálice da nova aliança no meu sangue derramado em favor de vós." Lucas 22:20
Como já vimos, o sábado judáico não é então necessário para o cristão. Paulo exortou para não se guardasse:
"Mas agora, conhecendo a Deus ou, antes, sendo conhecidos de Deus, como tornais outra vez a esses rudimentos fracos e pobres, aos quais de novo quereis servir? Guardais dias, e meses, e tempos, e anos." Gálatas 04:09-10.
Dizem os sabatistas que os evangélicos guardam o domingo e por isso adoram ao "deus sol", pois domingo em inglês é sunday = dia do sol. Mas e o sábado em inglês e: saturday = dia do saturno, um planeta que também foi adorado como divindade!
Em que dia os cristãos se reuniam para adorar a Deus?
* Jesus ressuscitou no primeiro dia da semana: "No primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu que a pedra estava revolvida." João 20:01
* Jesus apareceu aos discípulos no primeiro dia da semana: "Ao cair da tarde daquele dia, o primeiro da semana, trancadas as portas da casa onde estavam os discípulos com medo dos judeus, veio Jesus, pôs-se no meio e disse-lhes: Paz seja convosco!" João 20:19.
* Novamente apareceu Jesus aos discípulos no primeiro da semana e desta vez com a presença de Tomé: "Uma semana depois, os discípulos de Jesus estavam outra vez reunidos ali com as portas trancadas, e Tomé estava com eles. Jesus chegou, ficou no meio deles e disse: --Que a paz esteja com vocês!" João 20:26.
* O pentecostes aconteceu no domingo (primeiro dia da semana) : "Ao cumprir-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar" Atos 02:01.
* A ceia (partir do pão) era feita pelos discípulos no primeiro dia da semana : "No primeiro dia da semana, estando nós reunidos com o fim de partir o pão, Paulo, que devia seguir viagem no dia imediato, exortava-os e prolongou o discurso até à meia-noite." Atos 20:07.
* A coleta cristã era feita aos domingos, o que mostra que era nos domingos que se tinham mais cristãos reunidos. É lógico pensar que seria muito mais fácil coletar as ofertas quando todos os cristãos estivessem reunidos ao invés de supor que se reunissem no Sábado e depois, após voltarem para suas casas no Domingo, fosse feita a coleta de casa em casa.
"Quanto à coleta para os santos, fazei vós também como ordenei às igrejas da Galácia. No primeiro dia da semana, cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme a sua prosperidade, e vá juntando, para que se não façam coletas quando eu for." I Coríntios 16:01-02.
Quando é o primeiro dia da semana? Veja Mateus 28:01:
"E, no fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro." Mateus 28:01.
Agora não tem como ninguém dizer que o primeiro dia seja o sábado! Depois do sábado ("E, no fim do sábado...") só pode ser o domingo, o primeiro dia da semana!
Veja ainda Marcos 16:01-02:
"Passado o sábado, Maria Madalena, Maria, mãe de Tiago, e Salomé, compraram aromas para irem embalsamá-lo. E, muito cedo, no primeiro dia da semana, ao despontar do sol, foram ao túmulo." Marcos 16:01-02.
Mas haviam os Ebionitas, ou judaizantes, que se converteram a Cristo, mas ainda queriam obedecer à lei, quanto a circuncisão, guarda de dias e alimentos. Além disso, eles não aceitavam os escritos de Paulo, e só aceitavam somente o Evangelho Segundo os Hebreus (não confundir com a epístola aos Hebreus) como canônico. Os adventistas do sétimo dia, são bem parecidos: além de continuarem debaixo do antigo pacto, ainda recebem outros livros como se fossem canônicos, como os livros de EGW.
Qual é o dia do Senhor apresentado em Apocalipse 01:10 ?
"Eu fui arrebatado em espírito, no dia do Senhor, e ouvi detrás de mim uma grande voz, como de trombeta" Apocalipse 01:10.
Qual é o dia do Senhor?
Os sabatistas dizem que esse dia é o sábado, e usam até uma passagem bíblica, veja Lucas 06:05
"E dizia-lhes: O Filho do Homem é senhor até do sábado." Lucas 06:05.
Lucas disse: "é Senhor até do sábado..." Jesus não é o Senhor de um único dia, mas de todos os dias, e "até do sábado é Senhor" !
Então qual é o dia do Senhor?
Segundo o ensinamento dos profetas, o dia em que Deus irá castigar os israelitas incrédulos e os inimigos do povo de Israel. Em seguida, o restante fiel seria colocado nas posições de governo {#Joel 02.01-11; Sofonias 01.07-18}. No Novo Testamento é a SEGUNDA VINDA DE CRISTO {#1Coríntios 01.08}.
Então, por que Paulo nos sábados parava de trabalhar e se dirigia ao templo?
Ora, Paulo não perdia tempo! Ele bem sabia que não havia dia melhor para ir ao templo pregar! O dia em que mais pessoas estariam reunidas, pois muitos ainda não haviam recebido a Cristo, visto que " Veio para o que era seu, e os seus não o receberam." João 01:11.
Assim, como o sábado era o melhor dia para se pregar no templo, pois todos os judeus iam para lá, assim, no domingo era o melhor dia para se fazer a coleta, pois era (e é) o dia em os cristãos se reunem! (I Coríntios 16:01-02).
Veja o que Paulo disse:
"Porque, sendo livre para com todos, fiz-me servo de todos, para ganhar ainda mais. E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivera debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei. Para os que estão sem lei, como se estivera sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei. Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para, por todos os meios, chegar a salvar alguns. E eu faço isso por causa do evangelho, para ser também participante dele." I Coríntios 09:19-23.
Qual é a lei de Cristo?
"Portanto, agora, nenhuma condenação para os que estão em Cristo Jesus, que não andam segundo a carne, mas segundo o espírito. Porque a lei do Espírito de vida, em Cristo Jesus, me livrou da lei do pecado e da morte." Romanos 08:01-02.
Essa é a lei, totalmente diferente das leis pesadas dos fariseus. Agora é a lei do Espírito e de vida, ou seja, a Palavra de Jesus é a lei, veja :
João 06:63 "O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos disse são espírito e vida."
E o que Jesus disse ?
Mateus 11:28 "Vinde a mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e eu vos aliviarei. Tomai sobre vós o meu jugo e aprendei de mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve." A lei do Espírito e de vida, é leve ! Bem diferente da lei de homens desviados da verdade (I Timóteo 06:21). Qual é a ordem de Jesus? Guardar o sábado ou o domingo ? Não ! Veja qual é a ordem:
Marcos 16:15-18 "E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado. E estes sinais seguirão aos que crerem: em meu nome, expulsarão demônios; falarão novas línguas; pegarão nas serpentes; e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum; e imporão as mãos sobre os enfermos e os curarão."
Os alimentos? Comer ou não comer, eis a indigestão!
Algumas passagens são usadas para se defender o tema, vejamos:
Levítico 11:07 "Também o porco, porque tem unhas fendidas e o casco dividido, mas não rumina; este vos será imundo"
Isaías 66:03 "Aquele que mata um boi é como aquele que fere um homem; aquele que sacrifica um cordeiro, como aquele que degola um cão; aquele que oferece uma oblação, como aquele que oferece sangue de porco; aquele que queima incenso, como aquele que bendiz a um ídolo; também estes escolhem os seus próprios caminhos, e a sua alma toma prazer nas suas abominações."
Isaías 66:17 "Os que se santificam e se purificam nos jardins uns após outros, os que comem carne de porco, e a abominação, e o rato juntamente serão consumidos, diz o SENHOR."
Será que o cristão é proibido de comer carne de porco e outras carnes?
Nas duas passagens do profeta Isaías, Deus está chateado, pois as pessoas faziam rituais matavam muitos animais e ofereciam sangue de porco e bendiziam aos ídolos. Outros entravam em jardins e comiam tais carnes. Hoje o mesmo ocorre: Em rituais malignos, animais são oferecidos, mas o que Deus disse, não era quanto ao animal, mas quanto ao ritual, pois, para Deus, o cordeiro não é imundo mas puro.
Já na passagem de Levítico, Deus fez essa proibição ao filhos de Israel, leia:
"Dizei aos filhos de Israel: São estes os animais que comereis de todos os quadrúpedes que há sobre a terra..." Levítico 11:02.
" São estes os mandamentos que o SENHOR ordenou a Moisés, para os filhos de Israel, no monte Sinai." Levítico 27:34.
Mas até para os filhos de Israel deus permitiu que eles comessem:
"Porém, conforme todo o desejo da tua alma, degolarás e comerás carne segundo a bênção do SENHOR, teu Deus, que te dá dentro de todas as tuas portas; o imundo e o limpo dela comerão, como do corço e do veado." Deuteronômio 12:15.
"Quando o SENHOR, teu Deus, dilatar os teus termos como te disse, e disseres: Comerei carne, porquanto a tua alma tem desejo de comer carne; conforme todo desejo da tua alma, comerás carne."
"Porém, como se come o corço e o veado, assim comerás; o imundo e o limpo juntamente comerão delas." Deuteronômio 12:20 e 22.
Deus pediu somente que não comessem o sangue (Deuteronômio 12:23).
E para o cristão?
"não é o que entra pela boca o que contamina o homem, mas o que sai da boca, isto, sim, contamina o homem." Mateus 15:11
Não é a carne que vai me contaminar, pois o Sangue de Jesus é poderoso!
"Não compreendeis que tudo o que entra pela boca desce para o ventre e, depois, é lançado em lugar escuso? Mas o que sai da boca vem do coração, e é isso que contamina o homem." Mateus 15:17-18.
" Porque um crê que de tudo se pode comer, e outro, que é fraco, come legumes." Romanos 14:02.
"Eu sei e estou certo, no Senhor Jesus, que nenhuma coisa é de si mesma imunda, a não ser para aquele que a tem por imunda; para esse é imunda." Romanos 14:14.
"Comei de tudo quanto se vende no açougue, sem perguntar nada, por causa da consciência." I Coríntios 10:25.
O que se vendo no açougue? Paulo disse isso para os coríntios, ou seja, o açougue não era judeu, logo se vendiam todos os tipos de carne!
"Todas as coisas são puras para os puros; todavia, para os impuros e descrentes, nada é puro. Porque tanto a mente como a consciência deles estão corrompidas." Tito 01:15.
"Não é esta ou aquela comida que vai fazer com que Deus nos aceite. Nós não perderemos nada se não comermos e não ganharemos nada se comermos desse alimento." I Coríntios 08:08.
E por fim:
COLOSSENCES 02:16 "Ninguém, pois, vos julgue por causa de comida e bebida, ou dia de festa, ou lua nova, ou sábados"
Então posso me embriagar e que ninguém me julgue? Não, nada disso, já vimos em Gálatas 05:21, que os que se embriagam ficarão de fora. Paulo fala aqui, do jeito pelo qual bebiam, pois eles eram constantemente julgados, ou seja, desde que Jesus ainda andava com eles, já julgavam, veja: Mateus 15:02, Perguntaram a Jesus: "Por que transgridem os teus discípulos a tradição dos anciãos? Pois não lavam as mãos quando comem pão." Jesus respondeu: "O que contamina o homem não é o que entra na boca, mas o que sai da boca, isso é o que contamina o homem." Mateus 15:11. Os fariseus lavavam os talheres até 07 vezes, e quando eles viam os discípulos de Jesus se alimentando de forma diferente, ficavam irados. Esse é o caso da pregação de Paulo, que ninguém nos julgue pelo jeito com o qual nos alimentamos, pois a santificação não se encontra no alimento ou no lavar do talher, mas em seguir as Palavras de Jesus. Julgar as pessoas pelo que elas comem, é "debalde inchado na sua carnal compreensão" de pessoas "que vos carregam ainda de ordenanças, como se vivesseis ainda no mundo." e Paulo diz: "Mas não são de valor algum senão para satisfação da carne." Colossences 02:19-20 e 23.
Portanto, ninguém julgue, senão guardo o sábado, ou pelo que como!

Jesus foi Crucificado ou Estacado? Jesus Morreu numa Cruz ou em uma Estaca? O que a Biblia realmente Ensina e Como provar para as Testemunhas de Jeová

Pergunta: Como dialogar com uma TJ (testemunha de Jeová) que insiste que Jesus foi estacado e não crucificado? Onde posso conseguir copia de documentos da época que provam a crucificão de Jesus?

Resposta Apologética:
Esta pergunta e resposta já estava agendada para ser colocada em nossi site, mas um irmão nos questionou, e com isso iremos antecipar.

Indi direto à Bíblia, apresentarei duas passagens que provam que Jesus foi crucificado, e não estacado.

João 20:25 "Disseram-lhe, pois, os outros discípulos: Vimos o Senhor. Mas ele disse-lhes: Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos, e não puser a minha mão no seu lado, de maneira nenhuma o crerei."

Pronto, respondido! Tomé queria ver o sinal dos cravos nas mãos de Jesus. Ora, se Jesus tivesse sido estacado, ele não teria os sinais dos cravos, mas de um único cravo na mão.

Veja essa ilustração apresentada pelas testemunhas de Jeová:
Jesus Cristo foi crucificado ou estacado
Perceba, que nesta ilustração, há somente um cravo, diferente do que disse a Bíblia: "sinal dos cravos".

Certa vez, conversando com um TJ, ele, após pensar em uma resposta (demorou uma semana), ele disse, na mais cara de pau: "Eram dois cravos, um nas mãos e outro nos pés."

Não, disse eu ao TJ! A Bíblia disse claramente:

"Se eu não vir o sinal dos cravos em suas mãos, e não puser o dedo no lugar dos cravos..."

Sinal em suas mãos. Tomé não falou dos pés!

Veja mais:
testemunhas de Jeova cruz ou estaca
Outra prova biblica:
"E por cima da sua cabeça puseram escrita a sua acusação: ESTE É JESUS, O REI DOS JUDEUS." Mateus 27:37.

Compare:
cruz ou estaca

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Fogo estranho: bizarrices na igreja evangélica brasileira é tema da revista Cristianismo Hoje





Em tempos de aberrações teológicas, apologistas e líderes evangélicos demonstram perplexidade diante de desvios doutrinários


O crente brasileiro sabe: vez por outra, a Igreja Evangélica é agitada por uma novidade. Pode ser a chegada de um novo movimento teológico, de uma doutrina inusitada ou mesmo de uma prática heterodoxa, daquelas que causam entusiasmo em uns e estranheza em outros. Quem frequentava igrejas nos anos 1980 há de se lembrar do suposto milagre dos dentes de ouro, por exemplo. Na época, milhares de crentes começaram a testemunhar que, durante as orações, obturações douradas apareciam sobrenaturalmente em suas bocas, numa espécie de odontologia divina. Muito se disse e se fez em nome dessa alegada ação sobrenatural de Deus, que atraiu muita gente aos cultos. Embora contestados por dentistas e nunca satisfatoriamente explicados – segundo especialistas, o amarelecimento natural de obturações ao longo do tempo poderia explicar o fenômeno, e houve quem dissesse que a bênção nada mais era que o efeito de sugestão –, os dentes de ouro marcaram época e ainda aparecem em bocas por aí, numa ou noutra congregação. Outras manifestações nada convencionais sacudiram o segmento pentecostal de tempos em tempos. Uma delas era a denominada queda no Espírito, quando o fiel, durante a oração, sofria uma espécie de arrebatamento, caindo ao solo e permanecendo como que em transe. Disseminada a partir do trabalho de pregadores americanos como Benny Hinn e Kathryn Kuhlman, a queda no poder passou a ser largamente praticada como sinal de plenitude espiritual e chegou com força ao Brasil. A coqueluche também passou, mas ainda hoje diversos ministérios e pregadores fazem do chamado cair no poder elemento importante de sua liturgia. A moda logo foi substituída por outras, ainda mais bizarras, como a “unção do riso” e a “unção dos animais”. Disseminadas pela Comunhão Cristã do Aeroporto de Toronto, no Canadá, a partir de 1993, tais práticas beiravam a histeria coletiva – a certa altura do culto, diversas pessoas caíam ao chão, rindo descontroladamente ou emitindo sons de animais como leões e águias. Tudo era atribuído ao poder do Espírito Santo.
A chamada “bênção de Toronto” logo ganhou mundo, à semelhança das mais variadas novidades. Parece que, quanto mais espetacular a manifestação, mais ela tende a se popularizar, atropelando até mesmo o bom senso. Mas o que para muita gente é ato profético ou manifestação do poder do Senhor também é visto por teólogos moderados como simples modismos ou – mais sério ainda – desvios doutrinários. Pior é quando a nova teologia é usada com fins fraudulentos, para arrancar uma oferta a mais ou exercer poder eclesiástico autoritário. “A Bíblia diz claramente que haverá a disseminação de heresias nos últimos dias, e não um grande reavivamento, como alguns estão anunciando”, alerta Araripe Gurgel, pesquisador da Agência de Informações Religiosas (Agir). Pastor da Igreja Cristã da Trindade, ele é especialista em seitas e aberrações cristãs e observa que cada vez mais a Palavra de Deus tem sido contaminada e pervertida pelo apelo místico. “Esse tipo de abordagem introduz no cristianismo heresias disfarçadas em meias-verdades, levando a uma religião de aparência, sensorial, sem a real percepção de Deus”, destaca.
“Não dá para ficar quieto diante de tanta bizarrice”, protesta o pastor e escritor Renato Vargens, da Igreja Cristã da Aliança, em Niterói (RJ). Apologista, ele tem feito de seu blog uma trincheira na luta contra aberrações teológicas como as que vê florescer, sobretudo, no neopentecostalismo. “Acredito, que, mais do que nunca, a Igreja de Cristo precisa preservar a sã doutrina, defendendo os valores inegociáveis da fé cristã. A apologética cristã é um ministério indispensável à saúde do Corpo de Cristo”. Na internet, ele disponibiliza farto material, como vídeos que mostram um pouco de tudo. Um dos mais comentados foi um em que um dos líderes do Ministério de Madureira das Assembleias de Deus, Samuel Ferreira, aparece numa espécie de arrebatamento sobre uma pilha de dinheiro, arrecadado durante um culto. “Acabo de ver no YouTube o vídeo de um falso profeta chamado reverendo João Batista, que comercializa pó sagrado, perfume da prosperidade e até um tal martelão do poder”. acrescenta Vargens. Autor do recém-lançado livro Cristianismo ao gosto do freguês, em que denuncia a redução da fé evangélica a mero instrumento de manipulação, o pastor tem sido um crítico obstinado de líderes pentecostais que fazem em seus programas de TV verdadeiras barganhas em nome de Jesus. “O denominado apóstolo Valdomiro Santiago faz apologia de sua denominação, a Igreja Mundial do Poder de Deus, desqualificando todas as outras. E tem ensinado doutrinas absolutamente antibíblicas, onde o ‘tomá-lá-dá-cá’ é a regra”. Uma delas é o trízimo, em que desafia o fiel a ofertar à instituição 30% de seus rendimentos, e não os tradicionais dez por cento. A “doutrina das sementes”, defendida por pregadores americanos como Mike Murdock e Morris Cerullo nos programas do pastor Silas Malafaia, também rendeu diversos posts. Segundo eles, o crente deve ofertar valores específicos – no caso, donativos na faixa dos mil reais – em troca de uma unção financeira capaz de levá-lo à prosperidade. “Trata-se de um evangelho espúrio, para tirar dinheiro dos irmãos”, reclama Vargens. “Deus não é bolsa de valores, nem se submete às nossas barganhas ou àqueles que pensam que podem manipular o sagrado estabelecendo regras de sucesso pessoal.”

Crise teológica


Numa confissão religiosa tão multifacetada em suas expressões e diversa em termos de organização e liderança, é natural que o segmento evangélico sofra com a perda de identidade. O próprio conceito do que é ser crente no país – tema de capa da edição nº 15 de CRISTIANISMO HOJE – é extremamente difuso. E muitas denominações, envolvidas em práticas heterodoxas, vez por outra adotam ritos estranhos à tradição protestante. Joaquim de Andrade, pastor da Igreja Missionária Evangélica Maranata, do Rio, é um pesquisador de seitas e heresias que já enfrentou até conflitos com integrantes de outras crenças, como testemunhas de Jeová e umbandistas. Destes tempos, guarda o pensamento crítico com que enxerga também a situação atual da fé evangélica: “Vivemos uma verdadeira crise teológica, de identidade e integridade. Os crentes estão dando mais valor às manifestações espirituais do que à Palavra de Deus”.
Neste caldo, qualquer liderança mais carismática logo conquista seguidores, independentemente da fidelidade de sua mensagem à Bíblia. “Manifestações atraem pessoas. O próprio Nicodemos concluiu que os sinais que Cristo operou foram além do alcance do povo, mas não temos evidência de que ele tenha mesmo se convertido”, explica o pastor Russel Shedd, doutor em teologia e um dos mais acreditados líderes evangélicos em atuação no Brasil. Ele refere-se a um personagem bíblico que teve importante discussão com Jesus, que ao final admoestou-lhe da necessidade de o homem nascer de novo pela fé. “Líderes que procuram vencer a competição entre igrejas precisam alegar que têm poder”, observa, lembrando que a oferta do sobrenatural precisa atender à imensa demanda dos dias de hoje. “Mas poder não salva nem transmite amor”, conclui.
“A busca pela expansão evangélica traz consigo essa necessidade de aculturação e, na cultura religiosa brasileira, nada mais puro do que a mistura”, acrescenta o pastor Fabrício Cunha, da Igreja Batista da Água Branca, em São Paulo. “O candomblé já fez isso, usando os símbolos do catolicismo; o espiritismo, usando a temática cristã; e agora, vêm os evangélicos neopentecostais, usando toda uma simbologia afro e um misticismo pagão”, explica. Como um dos coordenadores do Fórum Jovem de Missão Integral e membro da Fraternidade Teológica Latinoamericana, ele observa que mesmo os protestantes são fruto de uma miscigenação generalizada, o que, no campo da religião, tem em sua gênese um alto nível de sincretismo.
Acontece que, em determinadas comunidades cristãs, alguns destes elementos precisam ser compreendidos como estratégias de comunicação e atração de novos fiéis. Aí, vale tanto a distribuição de objetos com apelo mágico, como rosas ungidas ou frascos de óleo, como a oferta de manifestações tidas como milagrosas, como o já citado dente de ouro ou as estrelinhas de fogo – se o leitor ainda não conhece, saiba que trata-se de pontos luminosos que, segundo muitos crentes, costumam aparecer brilhando em reuniões de busca de poder, sobretudo vigílias durante a noite ou cultos realizados nos montes, prática comum nas periferias de grandes cidades como o Rio de Janeiro. O objetivo das tais estrelinhas? Ninguém sabe, mas costuma-se dizer que é fogo puro, assim como tantas outras manifestações do gênero.
“Alguns desses elementos são resultado de um processo de sectarização religiosa”, opina o teólogo e mestre em ciências da religião Valtair Miranda. “Ou seja, quanto mais exótica for a manifestação, mais fácil será para esse líder carismático atrair seguidores para seu grupo”. Miranda explica que, como as igrejas evangélicas, sobretudo as avivadas, são, em linhas gerais, muito parecidas, o que os grupos sectários querem é se destacar. “Eles preconizam um determinado tópico teológico ou passagem bíblica, e crescem em torno disso. Objetos como lenços ungidos, medalhas, sal ou sabonete santificados são exemplos. Quanto mais diferente, maior a probabilidade de atrair algum curioso”. A estratégia tende a dar resultado quando gira em torno de uma figura religiosa carismática. “Sem carisma, estes elementos logo provocam sarcasmo e evasão”, ressalva. O estudioso lembra o que caracteriza fundamentalmente um grupo sectário – o isolamento. “Uma seita precisa marcar bem sua diferença para segurar seu adepto. Quanto mais ele levantar seus muros, mais forte será a identidade e a adesão do fiel.”

“Propósito de Deus”

Mas quem faz das manifestações do poder do Espírito Santo parte fundamental de seu ministério defende que apenas milagres não bastam. “É necessário um propósito e uma mudança de vida”, declara o bispo Salomão dos Santos, dirigente da Associação Evangélica Missionária Ministério Vida. Como ele mesmo diz, trata-se de uma igreja movida pelo poder da Palavra de Deus, “que crê que Jesus salva, cura, liberta e transforma vidas”. O próprio líder se diz um fruto desse poder. Salomão conta que já esteve gravemente doente, sofrendo de hepatite, câncer e outras complicações que a medicina não podia curar. “Cheguei a morrer, mas miraculosamente voltei à vida”, garante o bispo, dizendo que chegou a jazer oito horas no necrotério de um hospital. “Voltei pela vontade de Deus”, comemora, cheio de fé.
Consciente, Salomão diz que milagres e manifestações naturais realmente acontecem, mas “somente para a exaltação e a glória do Senhor, e não de homens ou denominações”. O bispo também observa que alguns têm feito do poder extraordinário de Jesus uma grande indústria de milagres: “O Senhor não dá sua glória para ninguém. Ele opera maravilhas através da instrumentalidade de nossas vidas”. E faz questão de reiterar a simplicidade com que Jesus viveu sua vida terrena e que, muitas vezes, realizou grandes milagres sem nenhum alarde. “O agir de Deus não é um espetáculo.”
Sangue fajuto
A novidade chama a atenção pelo seu aspecto bizarro. Num templo da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), fiéis caminham através de pórticos representando diversos aspectos da vida (“Saúde”, “Família”, “Finanças”). Até aí, nada demais – os chamados atos proféticos como este são comuns na denominação. O mais estranho acontece depois. Caracterizados como sacerdotes do Antigo Testamento, pastores da Universal recebem as pessoas e, sobre um pequeno altar estilizado, fazem um “sacrifício de sangue”. A nova prática vem ganhando espaço nos cultos da Iurd, igreja que já introduziu no neopentecostalismo uma série de elementos simbólicos. Tudo bem que o sangue não é real (trata-se de simples tinta), mas a imolação simulada vai contra tudo o que ensina o Novo Testamento, segundo o qual Jesus, o Cordeiro de Deus, entregou-se a si mesmo como supremo e definitivo sacrifício pela humanidade. Com sangue puro, e não cenográfico.
***
Fonte: Cristianismo Hoje / Púlpito Cristão

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Desistí de ser famoso

Por Cristiano Santana
Há algum tempo atrás eu tinha o sonho de ser um pregador famoso. Imaginava-me viajando pelo país pregando nos grandes congressos assembleianos e de outras denominações pentecostais. Acho que me iludi quanto a isso. A experiência me mostrou que careço de uma série de qualidades essenciais para a constituição de um “homem das multidões’.
.
Não sei me transfigurar no púlpito, tornando-me alguém diferente do que sou, uma espécie de super-ser, resultado de uma metamorfose temporária, que através de brados e gesticulações extáticas se declara capaz de trazer o céu à terra. Os irmãos da minha igreja conhecem a naturalidade com a qual me expresso. O Cristiano do púlpito é igual ao Cristiano fora do púlpito.
.
Não consigo usar clichês e bordões, tais como: “receba”, “tem fogo aí irmão?”, “crente que não faz barulho tem defeito de fabricação”, “tem sapato de fogo?”, “quem aqui é crente do reteté?”. Toda vez que tento usar essa técnica sinto um desconforto enorme, como se estivesse querendo moldar os crentes de acordo com um estereótipo pentecostal, estabelecido não sei por quem, quando e por quê.
.
Não consigo escolher os chamados “temas de fogo” para minhas pregações . Sempre que vasculho a Bíblia, a minha mente quase que involuntariamente busca textos que me permitam extrair uma mensagem que leve os cristãos a refletirem sobre a verdadeira essência do evangelho, isto é, sobre a necessidade do arrependimento, sobre as características da verdadeira espiritualidade, sobre o amor ao próximo, sobre o sentido da vida, enfim, temas que causem um impacto espiritual que dure mais do que os dias de uma festividade.
.
Não consigo dar comandos para a Igreja enquanto prego, como esses: “levante sua mão”, “olhe para o seu irmão e diga isso…”, “profetiza agora para o seu irmão”, etc. Uma voz interior – não estou certo da origem – sempre me diz que eu devo respeitar a autonomia dos crentes, que eles devem prestar uma adoração voluntária a Deus, que não é certo fazer com que eles se sentiam como marionetes. Tem aqueles dias em que desejamos ficar calados na igreja, esquecer daqueles que estão ao nosso lado e falar só com Deus, entrando num estado de profunda meditação. Como incomoda ser “cutucado” por alguém numa hora dessas! Ainda há aqueles crentes que não interagem facilmente com os outros; são circunspectos por natureza.
.
Se eu continuar pregando com esse meu jeitinho simples acho que o máximo que conseguirei é pregar numa festividade aqui, noutra festividade ali, nunca num megacongresso. Eventos dessa envergadura merecem pregadores de maior quilate, capazes de levar multidões ao êxtase coletivo e de mantê-las sobre o domínio da sua oratória por horas a fio.
.
É… Acho que o melhor para mim é seguir o exemplo de Davi: “SENHOR, não é soberbo o meu coração, nem altivo o meu olhar; não ando à procura de grandes coisas, nem de coisas maravilhosas demais para mim. (Salmo 131:1)
.
***
Fonte: Blog do Cristiano Santana

Igreja Presbiteriana vai ordenar primeiro pastor abertamente gay

Scott Anderson em seu escritório; ele foi nomeado primeiro pastor assumidamente gay da igreja Presbiteriana.

A Igreja Presbiteriana dos Estados Unidos recebeu de volta um pastor que teve de renunciar ao cargo por ser gay, segundo informações da agência de notícias Associated Press. Após 20 anos de afastamento, Scott Anderson foi novamente ordenado neste sábado (8) em sua casa em Madison, Wisconsin.
“Quem conhece Scott vê seu extraordinário dom de ministério, a sua capacidade de pregar a palavra, sua compaixão, sua humildade”, disse Jennifer Sauer, 41 anos, que frequentava a igreja de Anderson.
Em entrevista recente, Anderson, 56, lembrou que escondeu sua sexualidade de 1983 a 1990, quando renunciou depois de um casal descobrir que ele era gay e tentar usar as informações contra ele.
“Esse foi realmente o melhor e o pior momento da minha vida”, disse Anderson. “Foi o melhor porque eu era capaz dizer, pela primeira vez, quem eu era. Mas havia também a tristeza de deixar o que eu amava.”
MUDANÇAS NA IGREJA
A Ordenação na Igreja Presbiteriana foi possível graças a décadas de debate se pessoas abertamente gays deveriam ser autorizadas a servir na igreja.
A concessão se deu graças a mudança na constituição da igreja que exigia do clero “na fidelidade dentro do casamento entre um homem e uma mulher, ou a castidade no celibato.” A Assembleia Nacional Presbiteriana dos Estados Unidos aprovou retirar essa regra no ano passado.
Comentário Pr Márcio de Souza:

Se a moda pega… mas acredito que aqui no Brasil isso não venha a se concretizar porque existe um forte movimento no meio dos presbiterianos que defende radicalmente a heterossexualidade como padrão para o ministro e membresia. Se por um acaso, por uma possibilidade remota, isso acontecer, teremos certamente uma “zebra” teológica sem precedentes
.
***
Direto do blog do Pr Marcio de Souza, divulgado pelo Pulpito Cristão.

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Voce é "Gospel" ou Cristão?


lobo em pele de ovelha

Por Thiago Ibrahim

Você sabe a diferença entre ser gospel e ser cristão?

A expressão gospel (que em inglês significa evangelho) está na moda no Brasil. Faz parte da identidade que muitos evangélicos assumiram e assinam embaixo. Mas será que ser gospel significa mesmo ser cristão ( que quer dizer aquele que é de Cristo)?

Esse termo faz parte de uma enxurrada de outros termos americanos que invadiram nossas igrejas e nossa teologia, e fizeram com que perdêssemos muito da nossa essência. Você pode achar que essa é apenas uma discussão semântica, mas te convido a continuar lendo, pra perceber a diferença entre os dois.
Abaixo, querido leitor, elenquei a diferença de compreensão do evangelho e da vida por parte do ensinamento gospel e do ensinamento reformado cristão. 

Acompanhe:

O gospel alcança o favor do Rei para possuir a terra;
 O cristão busca a justiça do Reino e confia na provisão. 

O gospel decreta/profetiza a vitória e busca o novo de Deus;
 O cristão suporta as provações confiando que o Deus de sempre nunca o abandonará.

O gospel vive rompendo em fé e movendo o sobrenatural a seu favor;
O cristão alcança por meio da fé (dada por Deus) a salvação de sua alma e espera ser feita a vontade de Deus.

O gospel enxerga a Bíblia como um amuleto que o livrará de todos os males da vida (se aberta em Salmos 91, é claro);
O cristão tem a Bíblia como a única regra de fé e prática. 

O gospel é dizimista;
O cristão é generoso. 

O gospel jejua para chamar a atenção de Deus;
O cristão jejua como forma de servir e se humilhar. 

O gospel defende o que o pastor dele fala;
O cristão defende aquilo que diz a Bíblia. 

O gospel gosta de modinha;
O cristão mantém os valores do Reino. 

O gospel acha que é filho do Rei, por isso merece o melhor;
O cristão o sabe que é um pecador e que o que tem é fruto da Graça. 

O gospel busca no evangelho satisfazer seus interesses e ser abençoado;
O cristão abençoa o seu próximo e está pronto a abrir mão do seu próprio interesse em favor do irmão. 

O gospel limpa o pé pra pisar no “altar” da “casa de Deus”.
O cristão faz de todo lugar um altar e de sua vida um sacrifício pra Deus.

O gospel almeja pisar na cabeça de seus inimigos;
O cristão dá a oferece a outra face perdoando e amando aos que lhe fazem mal. 

O gospel busca o Reino de Deus e a sua justiça, pois assim receberá todas as coisas;
O cristão busca o Reino de Deus e a sua justiça confiando na provisão diária.

O gospel busca a Deus e espera receber;
O cristão busca a Deus e está pronto a servir. 

O gospel suporta o irmão por causa do culto;
O cristão suporta o culto por causa do irmão.

E você, o que tem sido: GOSPEL ou um simples CRISTÃO? Pense nisso!

Divorciando-se da Teologia da Prosperidade


.

Após mais de 30 anos de casamento, o pastor televangelista da Teologia da Prosperidade Benny Hinn está a caminho do tribunal do divórcio.


O Ministério Benny Hinn confirmou nesta quinta-feira que sua mulher, Suzanne Hinn, arquivou um pedido de divórcio no Tribunal de Orange County em 1 de fevereiro. Ela citou diferenças irreconciliáveis.

Apesar do casal ter se separado em 26 de janeiro, de acordo com documentos judiciais, a organização divulgou um comunicado expressando que Benny Hinn está chocado frente aos acontecimentos.

"Pastor Benny Hinn e seus familiares imediatos ficaram chocados e entristecidos em saber desta notícia, sem qualquer aviso prévio", disse Don Price, conselheiro sênior de longa data do Ministério Benny Hinn. "Embora o Pastor Hinn fielmente tem se esforçado para trazer a cura para seu relacionamento, esses esforços falharam e foram recebidos com a petição de divórcio, que foi arquivado sem aviso prévio."

Ele tem viajado ao redor do mundo com suas cruzadas de "milagres". Os relatórios de cada evento indicam que são dezenas de curas físicas, embora Hinn tenha admitido a ABC News que não possui a comprovação médica.

Ele também disse à ABC que não tem dúvidas sobre o estilo de vida confortável que mantém - um jato particular, estadias em hotéis cinco estrelas e uma mansão multi-milionária.

"Olha, você sabe que há essa idéia que nós pregadores supostamente deveriamos andar de sandálias e bicicletas de passeio. Isso é um absurdo", disse ele.

Hinn está atualmente sob investigação do Senado por má conduta financeira.

Com informações do Christian Post
Imagem: Internet

Leia +: [ A vida luxuosa de Benny Hinn ]
Via: [ PavaBlog ]

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

MAIS ABSURDOS DO CHAMADO MERCANTILISMO EVANGÉLICO


Fiquei estarrecido com o que li, há pouco, no blog Manhã com a Bíblia, do estimado Pr. Geremias do Couto. O conhecido escritor revela, em um texto curto, sua indignação com mais um disparate dos "levitas" de nossos tempos, para não dizer celebridades da fé.

A festa de aniversário da cidade de Teresópolis, Rio de Janeiro, contava com a presença de um "cantor" evangélico, que o pastor e blogueiro carioca prefere não revelar o nome. Os organizadores da festa decidiram mudar o local da reunião, que seria em um ginásio, uma vez que a celebridade evangélica não poderia comparecer devido a alta soma que teria pedido. Pasmem, nosso pseudo-irmão, muito generoso, teria cobrado "apenas" R$ 25.000,00 para se apresentar e os promotores, claro, cancelaram o evento no ginásio. O que mais me chamou a atenção e a do estimado articulista também, é que nós, evangélicos, para lotarmos um ginásio precisemos desse tipo de atração. Incrível! A igreja está crescendo horrores, estamos construindo templos com 10.000 assentos e fala-se até em locais de reuniões para 30.000 pessoas, somos cerca de 50 milhões no Brasil (ou quase isso), temos a maior igreja pentecostal do mundo (1) e não conseguimos encher um ginásio se não tivermos um astro entre nós?!

De quem seria a culpa por esses "cachês" tão altos? Daqueles que fomentam esse tipo de espetáculo em suas igrejas e festas, seja de jovens, de circulo de oração, aniversários de templos, etc, isto é, a culpa é dos que alimentam essa modalidade de louvor que não exalta a Deus. Ficamos à mercê de uma dúzia de gente que promove emocionalismos e sensacionalismos baratos, louvores mântricos, ocos e sem propósito de exaltarem a Deus.

Não quero bancar aqui o "Zé do Apocalipse", mas estamos no fim. Esse tipo de comportamento é inaceitável em nosso meio. Não faz muitos dias, li também na internet, que um pastor evangélico estaria oferecendo cinco milhões de reais pelas madrugadas do SBT e detive-me no comentário de um irmão que dizia: "Já exitem muitos programas de igreja na TV (...) porque não investem em obras sociais?". Nunca pensei que um dia concordaria com esse tipo de pensamento, pois sou um dos defensores de que a igreja deve usar a mídia para evangelizar o mundo. Porém, o que estamos vendo é que os chamados tele-evangelistas não estão promovendo o Reino de Deus, e sim seus interesses próprios e seus pequenos reinos aqui na Terra. Investem cinco milhões de reais porque sabem que irão arrecadar outros vinte. Não estão pensando em almas, nem em mudar a condição espiritual e social de nosso povo tão sofrido. A visão é marketeira e a situação é mercantilista e absurdamente abusiva, principalmente no que diz respeito a pedirem ofertas descaradamente, fazendo inclusive caras e bocas de piedade para comoverem e convencerem os telespectadores a contribuirem. Frases como: "Gente, vocês não sabem, como é difícil manter um programa de televisão no ar", me enojam. Se não podem sustentar o programa não entrem no círculo televisivo e não envergonhem o Evangelho. Alguns pastores assembleianos também estão usando do argumento da "semente", levando, astuciosamente, outros para testemunharem em seu favor, dizendo "plante no programa de fulano" e você vai ser muito abençoado. E os crentes incautos deixam de contribuir com suas igrejas locais para contribuirem com esses aventureiros. Outros têm usado os testemunhos de milagres como fonte de renda, para promoverem uma campanha, que é uma verdadeira cruzada em território nacional, para obterem um milhão de dizimistas. Bons tempos aqueles em que os verdadeiros evangelistas sonhavam com um milhão de almas.

Qual seria o porquê desses pastores de palco não falarem na Cruz de Cristo e na salvação pela fé, na vinda de Jesus, na renúncia diária, na doutrina da santificação? Por que os novos cantores evangélicos têm variado tanto seus repertórios com uma música de cada rítmo: rock, lambada, axé, salsa, merengue, forró e até samba? Seria para se contextualizar e evangelizar ou para atender todos os gostos e assim venderem mais cds? Sem citar nomes, o que se vê é uma disputa acirrada por espaços na mídia e nada de visão de Reino.

Por esses dias visitei muitas páginas e percebi que sobraram farpas para todos os lados e a maioria delas recaiu, principalmente, sobre a cabeça de um cantor cuja música está fazendo muito sucesso. Mas nossas músicas, de um modo geral, são muito desprovidas de conteúdo e inspiração bíblica. Não apenas o que está tocando em todas as rádios deve ser alvo de nossas críticas, mas toda a gama de novos cantores que se dizem evangélicos. Além da má qualidade, a forma mercantilista como tratam seus "ministérios" - é assim que eles nominam - tem envergonhado a igreja na mídia e no mundo secular.

Quero concluir com duas expressões do Senhor Jesus, o Mestre dos mestres: "De graça recebestes, de graça dai" e "Dai a César o que é de César e a Deus o que é de Deus"!
Maranata, ora vem Senhor Jesus!

Deus abençoe a todos!

(1) A Assembleia de Deus no Brasil é considerada a maior igreja evangélica pentecostal no mundo. Claro está que trata-se de uma referência à reunião de todos os ministérios e, portanto, convenções que levam esse nome.

A Septuagésima Semana de Daniel

sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Os "pecados" na pregação exagerada sobre usos e costumes


A pregação exagerada nos “usos e costumes” criou uma geração, ou gerações, de crentes legalistas e presos as tradições. Esse discurso, muito comum em igrejas pentecostais, é conhecido por destacar aspectos exteriores da santificação e atribuir a salvação aos méritos pessoais. O legalismo pode ser definido como o apego excessivo as leis, cuja motivação é agradar a Divindade por meio da justiça própria. O Movimento Pentecostal no Brasil ficou conhecidos por diversos costumes, que não são maus em si mesmo, mas sim pelo apego e dedicação das igrejas nesse assunto.
O propósito do artigo não é defender o antinomismo e nem pregar uma graça barata, que abraça o pecador com seu pecado. O propósito do artigo é mostrar que os pentecostais, ou a maior parte dos pentecostais brasileiros, pecam em uma pregação legalista, preso em detalhes de roupas ou cortes de cabelo. O legalismo no meio pentecostal, inclusive nesse dias, é um fato incontestável. O zelo pela santidade não deve ser confundida com um estilo de vida xiita ou medieval.
Alguns dos “pecados” na pregação legalistas são:

1- A pregação exagerada em usos e costumes produz crentes doentes.
Muitas pessoas só pensam em como não quebrar as regras e tradições apresentadas em sua igreja. Lembrando que essas regras não são bíblicas e inventadas por homens. Hoje existe muitos doentes, principalmente neófitos que são mal discipulados e acham que Cristo os abandonou por quebras as regras impostas(ex. O assistir televisão ou usar calça para as mulheres). Normalmente as pessoas que pregam muito “usos e costumes” apresentam uma imagem muito negativa de Deus, como um grande déspota e tirano pronto a condenar.

2- A pregação legalista se baseia em uma exegese falaciosa e tendenciosa.
Os defensores de determinados “costumes”, no qual chamam erradamente de doutrina, são exegetas da pior espécie. Muitos que tentam impor determinadas regras usam texto fora do contexto e versículo que nada diz sobre sua apologia. O exemplo clássico dos pseudo-exegetas é pregar como pecado o corte de cabelo para as mulheres baseados em I Co 11, pois como lembra o pastor assembleiano Anthony D. Palma: “Ao longo desta extensa discussão (de I Co 11), Paulo nunca diz que a mulher que ora ou profetiza com a cabeça descoberta está pecando”[1].

3- Um líder que pregar exageradamente sobre costumes é falta de assuntos relevantes para a sua pregação.
Pergunte a esses pregadores ,usuários de um discurso legalista, se eles pregam sobre Trindade, divindade de Cristo, depravação humana, mortificação da carne, fruto do Espírito etc. O discurso repetido nessa tecla mostra que muitos não tem pão para alimentar a igrejas, pois eles mesmos não se alimentam da Palavra.

4- O legalismo nos costumes é sectário.
A síndrome da pureza do grupo é muito comum no discursos legalistas. As pessoas que não se encaixam no perfil “santo” são logos taxados indevidamente de “mundanos”, “liberais” etc. Por muito tempo, membros de igrejas pentecostais não consideravam membros de denominações históricas como “crentes”.

5- Define erradamente mundanismo.
Mundanismo é um sistema. A Bíblia condena o amor ao mundanismo como sistema e não como habitação dos homens. O mundanismo manifesta-se no individualismo, na hipocrisia, no amor fingido, no orgulho “espiritual” e em outros exemplos que é possível encontra com abundância no meio de comunidades evangélicas ultra-conservadoras nos “usos e costumes”.
Em um próximo artigo será analisado mais sobre o assunto de usos e costumes. Essa lista de “pecados” dos legalistas não é exaustiva e há muitas questões relacionadas no assunto. Contribua com o seu comentário nessa discussão e aponte outros erros relacionados ao assunto ou descreva sua opinião.

Referência Bibliográfica

1- STRONSTAD, Roger & ARRINGTON, French L (ed). Comentário Bíblico Pentecostal. 4 ed. São Paulo: CPAD, 2006. p 1003.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...